CURSO DE SOLDAGEM / SOLDA BGA

CURSO DE SOLDAGEM / SOLDA BGA

Artigos

Máscara de Solda

As atividades de soldagem são um desafio constante aos profissionais de saúde e segurança do trabalho. Calor excessivo, movimentos repetitivos, projeções de partículas, fagulhas e respingos, eletricidade, fumos de soldagem, radiações ultra-violeta, infra-vermelha e luz visível intensa são riscos que acompanham os profissionais que exercem estas atividades.

Dessa forma, a especificação de equipamentos de proteção individual para os soldadores deve ser extremamente criteriosa, para que os epi´s possam oferecer a proteção efetiva mais elevada possível, sem interferir no desempenho dos demais epi´s e no desempenho do profissional de soldagem durante a execução de seu trabalho.

Quando se analisa especificamente a influência do epi na visualização do cordão ou ponto de solda, o principal desafio é conciliar a proteção aos olhos e face dos soldadores contra as radiações da soldagem e fagulhas sem prejudicar a qualidade e produtividade do trabalho. Os filtros convencionais de luz, de vidro, oferecem proteção contra as radiações da soldagem durante a operação, mas para isso chegam a bloquear a luz visível incidente quando fora da operação. Isso faz com que sejam necessários vários movimentos do soldador, levantando e abaixando a máscara de soldagem, durante o dia de trabalho, para visualizar outras operações que não a elaboração do cordão.

O uso de mascaras de solda de escurecimento automático, por sua vez, permite que o soldador possa enxergar através do filtro de luz sob condições normais de luminosidade, o que tende a reduzir consideravelmente a freqüência de movimentos que o soldador faz com a máscara de solda. Ganhos consideráveis de ergonomia são conseguidos dessa forma, principalmente naquelas operações de cordões curtos ou ponteamentos. Também são conseguidas melhorias substanciais na qualidade e na produtividade da soldagem, conseqüências diretas da maior facilidade de visualização do posicionamento dos eletrodos, da quantidade de metal depositado e da rapidez de mudança de um ponto para outro quando não está produzindo o cordão ou ponto de solda.

No entanto, especificar máscaras de solda de escurecimento automático para uma atividade de soldagem depende de mais variáveis, além do tipo de filtro de luz. É importante levar em conta a amperagem de trabalho, o tipo de soldagem, freqüência de soldagem, o lay out da soldagem, presença de outras operações próximas, como esmerilhamento, outras soldagens, comprimento médio do cordão e tempo médio de ?arco aberto? por cordão, entre outras.
Se não observadas adequadamente estas outras variáveis, o investimento em máscaras eletrônicas pode se mostrar pouco otimizado, de uso limitado ou até inadequado a determinadas operações.

Não basta apenas especificar ?Máscaras eletrônicas? e, a partir daí, seguir para a cotação de mercado e especificação de fornecedor.

Que tipo de máscara devemos usar? A visão periférica é importante? E o efeito da concentração de gás carbônico nas soldas mais longas? E a tonalidade de uso, está adequada? Preciso de uma tonalidade fixa ou variável? Preciso de tempo de comutação escuro/claro rápido ou mais demorado?

Estas e outras perguntas devem ser feitas sempre que se está especificando máscaras eletrônicas de soldagem.

Além do respeito à necessidade e conforto do soldador, é importante respeitar o patrimônio da empresa. Assim, juntamente com as perguntas acima, é importante que sejam consideradas atributos de desempenho, como a velocidade de comutação claro/escuro, consistência de escurecimento, durabilidade, resistência, robustez, atendimento pós vendas, tempo de garantia, etc.

Neste catálogo você, mais do que conhecer a linha completa de soluções para soldagem da 3M, com foco nas mascaras de solda de escurecimento automático, irá obter todas as informações necessárias para poder especificar da maneira mais otimizada possível a melhor alternativa para o seu uso, para a sua empresa.

Conte sempre com a 3M para auxiliá-lo nesta especificação.